« Home | Se os Sindicatos tivessem feito o seu papel... » | Bom dia... » | Celso Fonseca » | Pois » | Tempos de Crise » | Voar acima da lei » | A Arte - Paul Klee » | Eugénio de Andrade » | A Bola de Futebol de Felpo de facto Prende » | Relatório 2 - 18/2_18h28m » 

quinta-feira, março 02, 2006 

O Juramento de Hipócrates

Toda a gente já ouviu falar, mas, pelo menos eu, acho que nunca o lera. É curioso...


Juramento de Hipócrates

" Eu juro, por Apolo, por Esculápio, Higeia e Panacea, e tomo por testemunhas todos os deuses e todas as deusas, cumprir, segundo meu poder e minha razão, a promessa que se segue: estimar, tanto quanto a meus pais, aquele que me ensinou esta arte; fazer vida comum e, se necessário for, com ele partilhar meus bens; ter seus filhos por meus próprios irmãos; ensinar-lhes esta arte, se eles tiverem necessidade de aprendê-la, sem remuneração e nem compromisso escrito; fazer participar dos preceitos, das lições e de todo o resto do ensino, meus filhos, os de meu mestre e os discípulos inscritos segundo os regulamentos da profissão, porém, só a estes.

Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém. A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo não darei a nenhuma mulher uma substância abortiva.

Conservarei imaculada minha vida e minha arte.
Não praticarei a talha, mesmo sobre um calculoso confirmado; deixarei essa operação aos práticos que disso cuidam.

Em toda a casa, aí entrarei para o bem dos doentes, mantendo-me longe de todo o dano voluntário e de toda a sedução sobretudo longe dos prazeres do amor, com as mulheres ou com os homens livres ou escravizados.

Àquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto.

Se eu cumprir este juramento com fidelidade, que me seja dado gozar felizmente da vida e da minha profissão, honrado para sempre entre os homens; se eu dele me afastar ou infringir, o contrário aconteça."

também não conhecia.
Será que eles têm de ler isso tudo na hora de fazer o juramento??e se forem muitos a jurar???

eu acho que não se faz juramento nenhum, estilo juramento da bandeira, até porque, se ficar longe dos prazeres de amor com escravos até é relativamente fácil (já que eles não abundam muito por aí) com o resto do pessoal era um bocado pró difícil...e para hipócrates já bastam os padres.

se juram por esculápio e panacea então nao há q duvidar!

é tao mais fácil perceber a origem de hipócrita depois de ler estas linhas...

:)

Enviar um comentário

Links to this post

Criar uma hiperligação