« Home | Perdi o Siso. » | Não consigo tirar este pensamento da cabeça... » | Não consigo tirar este pensamento da cabeça... » | Mi Casa es mi casa (a estreia) » | Para os Indecisos. » | "Singin in the rain" » | Ex-Solteirão no Dentista » | Moleskinices I » | Fábula desportiva » | O fim de uma era? » 

sexta-feira, fevereiro 18, 2005 

"Creio no incrível, nas coisas assombrosas"

Aqui está um poema de uma das mulheres que eu mais admiro. A forma como punha a sua descomunal energia em tudo o que fazia, a sua frontalidade, a sua "joie de vivre", alimentaram esta minha admiração.

Foi poeta, dramaturga, romancista, ensaísta, tradutora, jornalista, guionista e editora. Comparo-a, e não nunca os conheci, ao Ary dos Santos. Seres vulcânicos maiores que suas vidas.

"Creio nos anjos que andam pelo mundo,
Creio na deusa com olhos de diamantes,
Creio em amores lunares com piano ao fundo,
Creio nas lendas, nas fadas, nos atlantes,

Creio num engenho que falta mais fecundo
De harmonizar as partes dissonantes,
Creio que tudo é étero num segundo,
Creio num céu futuro que houve dantes,

Creio nos deuses de um astral mais puro,
Na flor humilde que se encosta ao muro
Creio na carne que enfeitiça o além,

Creio no incrível, nas coisas assombrosas,
Na ocupação do mundo pelas rosas,
Creio que o amor tem asas de ouro. Ámen."

Natália Correia, Sonetos Românticos.

Fantástico!... simplesmente, fantástico!



Bom fim-de-semana!

K@

Creio que amanhã vamos perder
Creio que não vamos aguentar
Creio não ter pernas para correr
Creio não ter golos para marcar

Creio no Solteirão e no seu talento
Creio no Gonçalo a correr
Creio que o Marcos é um bocado lento
Creio no Tio Paulo a defender

Creio que o Bruno joga bem
Só não há paciência o ouvir
Forma o Rodolfo não tem
Ainda estou para ver o que há-de vir

...subscrevo por inteiro! A comparação (até fisicamente...) está muito a propósito.

Cheguei a frequentar (pouco) um barzinho de "livres pensadores" que ela tinha na Graça, onde eu vivia. Só a vi uma ou duas vezes mas o suficiente para reconhecer era uma mulher "demasiado avançada no tempo".

tem um bom fim de semana e intés!!

fantástico!! ;))

Este não conhecia. É lindão.

Assombrosos, os dois poetas e este poema!

É uma das grandes referências femininas deste século.
Gosto de quase toda a sua poesia, mas este tem um sanor especial para mim...
Deixo.o aqui, a quem gosta De Natália Correia...

Aqui (movente ou parada?)
Vou contra a vida que foge
Nos campos que à desfilada
Vão ao invés do que corre.

Que deus me ilude ou me mente?
Porquê na hora fugaz
Eu julgo que vou para a frente
Se tudo avança para trás?

Acaso egressa o tempo
Ao que era antes do mal
Nas árvores que recuam
À floresta inicial?

Poema de Natália Correia
Um abraço :-)
http://eternamentemenina.blogs.sapo.pt/

Enviar um comentário

Links to this post

Criar uma hiperligação