« Home | Ele há gente com sorte! » | Gostei de saber » | Ainda Arafat » | Arafat 1929 - 2004 » | 8H30 em ponto!! » | 9/11 » | Fuck you!  » | Atchim! » | Fabulástico!!!! » | Sobreviverá o mundo a mais quatro anos de Bush? » 

quarta-feira, novembro 17, 2004 

A NÃO PERDER!!

Há 9 anos atrás um jovem americano (Ethan Hawke) conheceu uma bela francesa (Julie Delpy) numa viagem de inter-rail.
Numa noite, e numa noite apenas, a cumplicidade, a paixão e a intimidade entre os dois é exposta de uma forma que apaixonou igualmente todos aqueles que os acompanharam de perto.
Certamente que quase todos viram “Antes do Amanhecer”, mas ainda se recordam do que aconteceu? Eu ajudo, eles tinham ficado de encontrar-se, 6 meses depois, e, porque seria demasiado banal, não trocaram telefones (naquela altura ainda não havia telemóveis), nem moradas…

Desde então, nada mais soubemos sobre eles.

O surpreendente reencontro, tal como na vida real, ocorre 9 anos depois, devido ao sucesso que Jesse obteve ao escrever as suas memórias sobre aquela mesma noite.
Antes do Anoitecer, decorre numa tarde, e numa tarde apenas, as duas personagens vão percorrendo as ruas e jardins de Paris, num diálogo de 80 minutos.

A simplicidade, inteligência e romantismo do filme em tudo nos faz lembrar o primeiro, e será também fruto da cumplicidade que une os 3 argumentistas (Ethan e Julie são dois deles, o outro é o realizador), que foi escrito através de troca de mailes e telefonemas.

E porque não conseguiria dize-lo de uma forma tão perfeita como João Miguel Tavares, aqui vai um excerto da sua critica.
“E nós, os espectadores, acompanhamos tudo isto com o deslumbre das revelações, porque Antes do Anoitecer é o retrato perfeito de todas as possibilidades que nunca chegámos a concretizar, o retrato perfeito dos 30 anos, quando já fomos apanhados pela vida. Só que, ao mesmo tempo, o filme acredita, como nós queremos acreditar, na substância do amor. E por isso ele agarra-se sempre, como no sublime diálogo final, a um grão de esperança, porque eles sabem, e nós sabemos, que não, que não é possível, que nunca funcionaria, que a vida não permitiria - mas e se?”

Bom, muito bom mesmo. Vale a viagem ao Porto ;)


Vale sim, a viagem ao Porto...e também o passeio por Paris!!! Ahhhh....queria tanto voltar lá!!!! Mas agora para andar de barco no Sena (por acaso, tal como no filme)...subir a Torre Eifel (tenho um fascinio por ela)...passear pelos jardins...sentar a ler um livro... ;))

podes sempre ir ao porto e passear no douro, subir aos clérigos e passear na ribeira... com a vantagem de tb lá estar o estádio do dragão! :)

mas tens razão... paris é uma cidade única e inesquecível. apaixonado então deve ser muito melhor!

paris c'est paris

Isto quase que merecia um novo post, mas não vou por aí, não sei por onde vou, mas sei que não vou por aí.

Hoje fui surpreendido por um velho amigo, um amigo de sempre, “o amigo”.
Ás vezes, muitas das vezes, e de forma a preencher a monotonia do tempo, damos por nós, tal como o outro, a falar, falar, falar, e a não dizer nada.

Mas, dentro de nós, corre o sumo da insatisfação, a avidez do espírito; e somos mais, muito mais do aquilo que mostramos ser.

Em todos nós vive um filosofo. Tu, meu grande amigo Urso, és um!!
Não, não abanes essa pata em sinal de negação, agora eu descobri.

Tu, és um filósofo!

Quem mais teria a argúcia de pensamento para chegar onde este homem chegou?!
Quem mais produziria este portento “Paris c´est Paris”?!

Não, ele não tem medo em negar as crenças mundanas e os pensamentos vigentes, e afirma com afoiteza “Paris c´est Paris”!
Não é Nova Iorque, meus senhores, nem Madrid, nem qualquer outro lugarejo. Não, Paris é mesmo Paris.

A minha alma ainda não conseguiu fechar a boca…

;)))))))

Que 3 comments divinos

Melhores que o próprio texto.

E, Solteirão, se o comment do Papá revela uma intensidade filosófica que estravasa o senso do comum dos mortais, já o seu comentário mordaz nos fez estravasar a gargalhada.

P.S. - Por acaso ficava-lhe bem seguir pelo caminho que não quis seguir. Com a veia poética com que está Paris ficaria ainda mais sedutora!

mas repara na subtileza do "c'est".
poderia ter dito "paris é paris", e aí tinha fundamento o k dizes, mas eu disse "paris c'est paris" o k é completamente diferente!

tens k fazer com os dedos como se tivesses a fazer a "sopa", mas virados para cima, e semicerrar os olhos e olhar para o infinito. dizendo a frase "paris c'est paris" como se fosses o alan delon.

é muito diferente n é?

agora experimenta dizer "lille c'est lille"...
ou "bordeaux c'est bordeaux"...
ou "massassuchets is massassuchets"...
ou "alcabideche é alcabideche"

não! nenhum tem o impacto de "paris c'est paris"

esta tem uma razão de ser e de ser dita!

tenho dito.

Aposto que com essa resposta os calaste. Estiveste bem!!! E tens razão, Paris c'est Paris...inigualável!!

ó Nina, calar não calou... mas a gargalhada aumentou!

Nina:

Certamente terás oportunidade de lá voltar.
Agora que as viagens estão a 19 euros e qualquer coisa

Urso:

Lollllll, "os dedos virados como se estivessem a fazer a "sopa", mas virados para cima" muito bom, lol!!!!!

Ó pra mim a dizer, com os olhos semicerrados e o olhar no infinito:

"Um Urso é sempre um Urso"!

AAS:

Obrigado pelas gargalhadas ;)

vai ser o proximo filme que vou ver. mas se não te importas, vou ve-lo cá por lisboa mesmo... beijinhos

tenho akele "je ne sais quoi"... n'est çe pas? :)

nina: fico à espera da correcção do meu francês, já k n escrevo nesta língua há alguns anos.

Pas de probléme Papa Urso!! J'ai étudié français pendent 12 ans, donc je le parle trés bien!!!

Esta Nina é um must!

Pour Nina j'ai une palavre:

ouuuulala!

:))

PS: Solteirão, nada de te lembrares de filmes do género "adeus lenin"...é falado em alemão e essa língua eu já não domino e lá se vão os meus cráditos todos! :))

Antes de mais uma correcção a mim mesma: créditos e não cráditos...isto foi mesmo a pressa!!! é do hábito de escrever quase a alta velocidade...muito trabalho, muito trabalho...
Depois...Urso, querido...não leves a mal, mas até foste tu que pediste. On ne dit pas palavre en français...c'est parole!! C'est pas grave, mais...
Gros bisous :))

Nina:

Outra Correcção, não é "Lenin" é Lenine!

Lol, para uma provedora acho que isto não fica nada bem ;)

Busted!!!!eheh

Sónia:

Ainda estou pasmo com o teu blog!!

"O meu Pipi" versão feminina?!

Vá, crucifiquem-me!! Eu errei, mereço castigo!! O provedor não devia falhar. Estarei mais atenta a tudo a partir de hoje. ;)

Nina:

Já agora, só mais uma correcçãozinha.
Provedor tem feminino, logo, e assumindo que estava a falar de si, deveria ter escrito "Provedora" e não "Provedor".

Tsss, tsss...

;)

Enganas-te Solteirão!!! O lugar/cargo, como lhe queiras chamar usa-se no masculino (tenho quase certeza)!!! E eu falava nesse sentido. Diz-se Provedor, como é o caso dos jornais que têm a figura do Provedor do Leitor...é provedor não porque é um homem...

Olhe que não, olhe que não.

Lembrei-me imediatamente do exemplo mais mediático, a provedora da Casa Pia, Catalina Pestana.

No entanto, e não satisfeito, encontrei este texto, da autoria de Estrela Serrano, professora universitária e, provedora.

"Durante três anos, de Abril de 2001 a Abril de 2004, como provedora dos leitores, analisei profunda e criticamente o DN."

(http://www.clubedejornalistas.pt/DesktopDefault.aspx?tabid=185)

Bem, mas que empenho em apanhar a minha "calinada"...ainda bem, assim certamente que não volto a errar. Vá, leva lá a bicicleta...a sério!!!

PS: tenho de realçar uma coisita...eu disse que achava que era assim...logo sempre tenho direito a um "desconto" no castigo a levar...

PSS: durante breves instantes isto mais parecia a guerra do gato e do rato.

Como diria o nosso amigo Unas:

TAU ....TAU

Estarei, pobre Nina só e abandonada por todos vocês, a ser vítima da vossa perseguição? Que malvados...não perdoam nada, mais parecem aquela que anda sempre atrás das gralhas do AAS...

Enviar um comentário

Links to this post

Criar uma hiperligação